REGIÃO

No Noroeste, PR-323 ganha terceiras faixas para melhorar logística e aumentar a segurança


Foto: Gilson Abreu/AEN

A PR-323 nunca mais será a mesma. De ponta a ponta, da pequena Iporã até chegar em Maringá, a rodovia que corta o Noroeste do Paraná está em obras. São duplicações, terceiras faixas, recapeamentos e viadutos em andamento para ampliar a capacidade de tráfego e aumentar a segurança e conforto para pedestres e motoristas.

No lado mais à Oeste do Estado, próxima à divisa com o Mato Grosso do Sul e à fronteira com o Paraguai, a região de Iporã está sendo contemplada com a construção de 3,8 quilômetros de terceiras faixas. Caminhões, tratores e escavadeiras apertam o ritmo para pôr fim à antiga reclamação de que a estrada não tem pontos de ultrapassagens, o que torna a viagem bem mais longa e perigosa.

"Se a pessoa fica atrás de um caminhão, dificilmente vai conseguir ultrapassar. Ou vai se arriscar, o que resulta em muitos acidentes. Essas terceiras faixas vão ampliar a capacidade e a segurança de quem usa a rodovia, sem sombra de dúvidas", conta o ambulante Rodrigo Carlos de Oliveira Silva.

Desempregado, ele mesmo viu na modernização da PR-323 uma forma de ganhar a vida - passa o dia no perímetro do "siga e pare" vendendo picolés de fruta por R$ 2,50, um alívio necessário em meio ao calor que costuma bater na casa dos 40ºC naquela região. "Está ficando bom", diz, enquanto faz o "zigue-zague" entre os carros que aguardam pacientemente a vez para seguirem o percurso.

Pavimentação da PRC-280 em concreto avança no Sudoeste e atende demanda de 20 anos

FIM DE GARGALOS - O segmento entre Iporã e Cafezal do Sul é apenas um dos vários trechos que serão ampliados ao longo da rodovia. Ao todo, o Governo do Estado está implementando quase 24 quilômetros de faixa adicional na PR-323, um investimento de R$ 59,4 milhões do programa Avança Paraná, financiado pela Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil.

"Assumimos o compromisso de resolver gargalos logísticos que perduravam há muito tempo no Estado. Com a conclusão dessas obras, melhoramos a trafegabilidade e escoamento da produção paranaense, além de trazermos mais segurança aos motoristas", destaca o governador Carlos Massa Ratinho Junior. "Graças a um planejamento que fizemos na alocação de recursos e na elaboração de projetos, o Paraná inteiro está em obras", acrescenta.

Com planejamento, Paraná tira grandes obras de engenharia do papel, afirma governador

Morador de Cafezal do Sul há 58 anos, Ascânio Antônio de Paula faz o trajeto de pouco mais de 20 quilômetros até Iporã diariamente. Conhece como poucos as nuances da pista que passa por reforma. "Isso aqui era a rodovia da morte. Agora, essa obra vai beneficiar muita gente e salvar muitas vidas", diz.

PROJETO - A obra integra o novo Programa de Revitalização da Segurança Viária do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR). O projeto prevê soluções como a implantação de terceira faixa para ultrapassagens, alargamento de faixa, reabilitação do pavimento com soluções de reciclagem e pavimentação, eliminação de degraus com desnível maior que cinco centímetros, reforço da sinalização horizontal e vertical e implantação de mais dispositivos de segurança.

Devem ser atendidos 20 segmentos da PR-323, no trecho entre Doutor Camargo e Iporã, com um prazo de execução de 360 dias, após emissão da ordem de serviço.

Iniciativas semelhantes estão sendo licitadas na PRC-280, no Sudoeste, e na PR-092, no Norte Pioneiro.

"Temos um volume expressivo de obras, que inclui a recuperação de rodovias importantes, temos projetos históricos que eram aguardados há décadas e que atendem todas as regiões", afirma o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex.

CORREDOR - A PR-323 é um dos principais corredores de transporte de cargas no Paraná, ligando a região Noroeste ao Oeste e ao Norte. Atualmente, está em fase de conclusão a duplicação da rodovia entre Paiçandu e Doutor Camargo, em uma extensão de 20,7 quilômetros, sendo que 10 deles já foram liberados para tráfego. O investimento é de R$ 73,4 milhões.

Com alta de 13% na movimentação em 2021, Ferroeste impulsiona economia do Paraná

Além disso, a PR-323 é objeto de duas licitações de duplicação, uma de R$ 81 milhões no trecho entre Umuarama e a PR-468, que inclui duas novas interseções em desnível, sendo uma delas no Trevo do Gauchão, e outra de R$ 55 milhões para continuar a duplicação da rodovia de Doutor Camargo até o quilômetro 180,5, próximo à ponte sobre o Rio Ivaí.

"Iporã está crescendo e conquistando espaço graças ao investimento em parceria com o Governo do Estado. E essa melhoria na PR-323 é mais uma obra importante, que vai evitar acidentes e melhorar o fluxo de veículos. Estimamos que nos próximos anos, com os investimentos privados que estão vindo para a cidade, abriremos mais de 2,5 mil vagas de emprego. Por isso, a rodovia é fundamental", ressalta o secretário do Planejamento de Iporã, Leandro Aparecido Sabino.




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM